Supervisão bancária da UE pode começar antes do previsto, diz fonte

Data de 1º de março de 2014 pode ser antecipada, diz fonte ligada ao governo alemão; o presidente do BCE, Mario Draghi, elogiou o acordo de hoje

Agência Estado ,

13 de dezembro de 2012 | 13h44

BERLIM - O Banco Central Europeu (BCE) pode assumir alguns poderes de supervisão bancária antes da data planejada, em 1º de março de 2014, se a instituição receber um pedido formal do Mecanismo de Estabilidade Europeu (ESM, na sigla em inglês), afirmou uma fonte próxima ao governo da Alemanha.

Os ministros europeus de Finanças fecharam um acordo nesta quinta-feira, em Bruxelas, para levar muitos dos bancos do continente a uma única supervisão.

O supervisor bancário conjunto é um pré-requisito para que os fundos de resgate da zona do euro possam recapitalizar diretamente os bancos debilitados do bloco, ajudando assim a romper o elo entre as dívidas bancárias e soberanas.

O BCE assumirá a responsabilidade pelos bancos que têm pelo menos 30 bilhões de euros (US$ 39 bilhões) em ativos, geram mais de 20% do PIB de seus respectivos países ou operam em, no mínimo, dois países.

Draghi elogia

O presidente do BCE, Mario Draghi, elogiou hoje o acordo aprovado pelos ministros de Finanças da União Europeia para o estabelecimento de um supervisor bancário conjunto. "O acordo marca um passo importante em direção a uma união econômica e monetária estável, e em direção a uma maior integração europeia", disse Draghi em comunicado.

Após a conclusão das conversas entre o Parlamento Europeu, o Conselho Europeu e a Comissão Europeia, e após a adoção das medidas legais, o BCE vai lançar os preparativos para o estabelecimento do supervisor, chamado Mecanismo Supervisor Único (SSM, na sigla em inglês). Isso ocorrerá dentro do cronograma previsto pelos ministros europeus, disse Draghi. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.