Suposta amante de Madoff vai lançar livro

A também vítima do esquema da pirâmide promete revelar ?coisas que só ela sabe? sobre o ex-financista, condenado a 150 anos de prisão

AGÊNCIAS INTERNACIONAIS, O Estadao de S.Paulo

15 de agosto de 2009 | 00h00

Dois meses após ser condenado a 150 anos de prisão por ter realizado a maior fraude da história de Wall Street, o nome do financista Bernard Madoff volta a ser associado a escândalos. Sheryl Weinstein, umas das vítimas do esquema de pirâmide que lesou investidores em cerca de US$ 65 bilhões, escreveu um livro em que expõe ter mantido uma relação extraconjugal com ele. A obra será lançada no dia 25 de agosto nos Estados Unidos. "Ninguém conhece Bernie Madoff como eu", afirmou a autora de Madoff''s Other Secret: Love, Money, Bernie, and Me (O outro segredo de Madoff: Amor, Dinheiro, Bernie e Eu), que será publicado pela editora St. Martin?s. A rede televisiva ABC, no entanto, lembrou que há poucos meses Sheryl havia negado sua suposta relação com Madoff.No livro, Sheryl, de 60 anos, admite que manteve uma relacionamento amoroso com Madoff por duas décadas. Os dois eram casados. "Ela era uma proeminente mulher de negócios, inteligente e bem-sucedida. Após manter durante 20 anos uma relação íntima com Madoff, perdeu tudo", diz a sinopse da obra disponibilizada pela rede de livrarias Barnes & Noble em seu site.O livro conta com "detalhes pessoais, documentos exclusivos e fotografias", segundo o texto. A sinopse assegura ainda que o livro revelará "um Madoff que ninguém conhecia e que escandalizará e surpreenderá os leitores". A defesa do financista respondeu com ironia à novidade. "Se ela quer anunciar ao mundo inteiro que manteve uma aventura, é uma coisa sua. Não quero nem afirmar, nem desmentir o que diz, mas espero que se divirta admitindo que enganou seu marido", disse advogado de Madoff, Ira Sorkin. Sobre as possíveis revelações contidas no livro, Sorkin diz esperar que a autora "seja mais discreta a respeito de suas obrigações financeiras do que tem sido alegadamente com a sua vida sexual". Ruth Madoff, mulher do financista há 50 anos, alega não ter conhecimento do "alegado caso amoroso", disse por meio de procuração dada a seu advogado, Peter Chavkin.Sheryl, casada há 37 anos, assegurou durante o julgamento contra Madoff em Nova York que conheceu o financista há 21 anos, durante uma reunião de negócios, quando ela era a contadora da organização de caridade de mulheres judias Hadassah. Esse teria sido, segundo afirmou ao juiz, o "dia provavelmente menos sortudo" de sua vida, já que confiar no criminoso a custou suas economias e sua casa. Nancy Falchuk, presidente da organização Hadassah, que investiu cerca de US$40 milhões nos fundos de Madoff nos anos 1990, afirmou que o grupo ficou "chocado ao ouvir as notícias sobre a confissão de Weinstein a respeito de seu relacionamento. Na verdade, nós não sabíamos nada sobre sua relação com Madoff até hoje".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.