Surge fórum de competitividade para setor de móveis

O ministro do Desenvolvimento, Alcides Tápias, instalou hoje o Fórum de Competitividade para a Cadeia de Madeira e Móveis. A meta, segundo informou o secretário de Desenvolvimento da Produção, Reginaldo Arcuri, é aumentar as exportações de US$ 2 bi em 2000 para US$ 3,39 bi em 2004. Outra meta é ampliar a produção do setor moveleiro a uma taxa média de crescimento de 12% ao ano, alcançando faturamento de R$ 15,26 bi em 2004. O trabalho desenvolvido pelo fórum tem como objetivo ainda gerar 80.967 empregos diretos e 83.156 empregos indiretos até 2004. O fórum também tem entre suas metas aumentar a área florestada do País, de modo a garantir suprimento de madeira para as indústrias e suprir o déficit de florestamento, estimado em 300 mil hectares por ano. O presidente da Abimóvel, Domingos Sávio Rigoni, citou entre os principais problemas do setor a carga tributária elevada e a falta de uma tradição exportadora. Ele também afirmou que o abastecimento de madeira será um problema para os próximos anos. "Eu sou contra a exportação de madeira cortada." O superintendente da Sociedade Brasileira de Silvicultura, Rubens Garlipp, disse que a simples suspensão das exportações não resolve o problema. "Precisamos avaliar se o mercado interno vai consumir toda a madeira produzida", disse. O secretário Reginaldo Arcuri explicou que essa questão será discutida no fórum e as soluções constarão de um contrato de competitividade a ser assinado dentro de alguns meses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.