Susep já recebeu 12 pedidos de resseguradoras no País

Já há 12 pedidos de registros de resseguradoras para operar no Brasil. A Superintendência de Seguros Privados (Susep) não vai ter tempo de autorizar todas essas empresas (que são o seguro das companhias seguradoras) até a próxima quinta-feira, quando o mercado de resseguros será aberto e só empresas registradas poderão trabalhar. As informações foram dadas hoje pelo diretor da Susep Murilo Chaim em entrevista no Palácio Guanabara, quando foram anunciadas as decisões das resseguradoras Hannover, da Alemanha, e Transatlantic, dos Estados Unidos, de abrirem escritórios no Rio.De acordo com ele, há pedidos de quatro resseguradoras para atuar como locais, duas para eventuais (sem representação no Brasil) e seis como admitidas, com escritórios de comercialização no País, mas operação no exterior. Ele espera que até o dia 17 a Susep já tenha dado as autorizações para pelo menos três admitidas e as duas eventuais.Ele reconheceu que o IRB, que tinha o monopólio do mercado até agora, será a única empresa a operar como resseguradora local no dia 17. No entanto, duas das resseguradoras que querem trabalhar como locais, a Mapfre e a Munich Re devem começar a operar no dia 17 como eventuais, segundo Chaim. "Estamos estimulando que as empresas peçam registro como locais e eventuais", declarou. A diferença é que a lei reserva 60% do mercado de resseguro para as resseguradoras locais. O diretor da Susep disse que não há uma expectativa de prazo para quando as resseguradoras locais poderão começar a ter seus registros e operar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.