Suspensa fusão de secretarias de defesa da concorrência

Não haverá mais a fusão entre a Secretaria de Acompanhamento Econômico (Seae) e a Secretaria de Direito Econômico (SDE), órgãos respectivamente vinculados às pastas da Fazenda e da Justiça, que, junto com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), formam o sistema defesa da concorrência.De acordo com o secretário de acompanhamento econômico da Fazenda, José Tavares de Araújo Júnior, o governo decidiu não levar adiante a idéia de criar uma agência independente que incorporasse os trabalhos das duas secretarias. "Examinamos todas as possibilidades de fusão, divisão de trabalho, etc. Foi decidido que a Seae e a SDE não vão se fundir", afirmou.O principal motivo, disse, é que o governo não pode se "dar ao luxo" de promover uma fusão tão complexa ao mesmo tempo em que se concentra no aprimoramento de alguns marcos institucionais como a defesa da concorrência. "O governo não pode se dar ao luxo de parar tudo, por exemplo seis meses, para fazer essa fusão. As secretarias vão continuar separadas e estamos caminhando para um processo de aprimoramento que evite a duplicação de trabalho", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.