Suspensão do corte do ponto de auditores pode manter greve

Trabalhadores discutem manutenção da paralisação em assembléias nesta sexta; liminar do STJ suspente corte

Luiz Roberto Marinho e Renata Veríssimo, da Agência Estado,

17 de abril de 2008 | 12h26

A liminar do Superior Tribunal de Justiça (STJ) suspendendo o desconto dos dias parados dos auditores da Receita Federal pelo Ministério do Planejamento, concedida na quarta-feira, 16, pelo ministro Napoleão Maia Filho, reforça a possibilidade de manutenção da greve, que entra nesta quinta no 31º dia, nas assembléias que a categoria realiza nesta sexta-feira. O ministro do STJ levou em consideração, na liminar, "a natureza alimentar" dos salários que seriam cortados. Os auditores discutem nas assembléias desta sexta a contraproposta salarial feita pelo Ministério do Planejamento, considerada "pífia" pela diretoria do Sindicato Nacional dos Auditores, o Unafisco. O Planejamento propôs um cronograma de reajustes em julho próximo, julho de 2008 e julho de 2010, retardando em oito meses o primeiro reajuste e em 15 meses o último em relação ao acordo salarial discutido ano passado, segundo a Unafisco. Está em discussão um piso de R$ 14.390, para início de carreira, e um teto de R$ 19.250. A decisão do Ministério do Planejamento de cortar o ponto dos grevistas, baseada em liminar do Supremo Tribunal Federal que permitiu o desconto dos dias parados, encerrou a greve dos advogados da Advogacia Geral da União (AGU), que retornaram ao trabalho na segunda-feira passada.

Tudo o que sabemos sobre:
GreveReceita Federal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.