Suspensão não deverá ser revertida nesta semana, diz Anatel

Apesar de elogiar o trabalho apresentado pela Claro, Agência afirma que ainda não há prazo para a retirada da suspensão

Eduardo Rodrigues, da Agência Estado,

23 de julho de 2012 | 14h09

BRASÍLIA - Apesar de elogiar o trabalho apresentado pela Claro nesta segunda-feira, 23, o superintende de serviços privados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Bruno Ramos, disse que a decisão do órgão em suspender as vendas de novas linhas da companhia em Santa Catarina, Sergipe e São Paulo dificilmente poderá ser revertida ainda esta semana.

"A Claro mostrou que está trabalhando com afinco no sentido de cumprir a determinação da Anatel, o que é muito bom para o setor. Vamos trabalhar em conjunto durante a semana para tentarmos chegar ao melhor plano", afirmou, após reunião com o presidente da companhia, Carlos Zenteno. Segundo o superintendente, porém, ainda não há prazo para a retirada da suspensão.

Segundo Ramos, as propostas apresentadas até agora pela empresa ainda precisam de mais detalhamento, principalmente em relação à projeção de aumento e atendimento à demanda nos próximos dois anos. "Isso tem a ver também com os planos de serviço e a estratégia de marketing da empresa", explicou. Segundo Zenteno, a empresa pretende enviar os dados à Anatel ainda hoje.

"A reunião foi positiva, mas a Anatel pediu novos detalhamentos de crescimento de tráfego nos próximos anos, considerando grandes eventos e considerando as ofertas e promoções da Claro. Hoje mesmo vamos confirmar os dados e detalhar informações adicionais", disse o executivo.

Segundo ele, além dos investimentos previstos na rede para os próximos dois anos, a Claro apresentou um plano de ações, com a ampliação da plataforma de fornecedores e com a implementação até setembro de um novo sistema de remanejamento das ligações da central de atendimento. "É importante destacar que estamos cumprindo todos os indicadores de qualidade de rede. A Claro teve problemas pontuais e específicos no call center, com problemas nas entregas de alguns fornecedores", alegou Zenteno.

O presidente da Claro disse ainda que a empresa já está tendo prejuízos com a proibição de venda novos chips desde a 0 hora de hoje em Santa Catarina, Sergipe e São Paulo. "Deixar de vender é muito crítico para qualquer companhia. Por isso temos a expectativa de que a situação seja resolvida no curto prazo, sobretudo porque a Claro teve, desde sempre, uma postura proativa. Fomos a primeira companhia a apresentar planos e esperamos sermos também os primeiros a resolver a situação", concluiu.

Além da Claro - punida em três Estados - a Oi foi suspensa em cinco e a TIM em 19 Unidades da Federação. Segundo Ramos, todas as empresas encaminharam avisos sobre a suspensão das vendas a partir de hoje e a fiscalização da Anatel ocorrerá nas centrais de habilitação das companhias. O órgão se reunirá com a TIM amanhã, às 11 horas, e com a Oi, no período da tarde.

Tudo o que sabemos sobre:
OperadorassuspensãoAnatel

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.