Suspensas inscrições de 25 empresas suspeitas de sonegação

Compahias foram abertas em nome de "laranjas" com a finalidade de fraudar o Fisco do Mato Grosso.

14 de dezembro de 2009 | 14h20

A Secretaria de Fazenda de Mato Grosso (Sefaz) suspendeu na última sexta-feira o cadastro de contribuintes do Imposto Sobre a Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) do Estado e as inscrições estaduais de 25 empresas suspeitas de envolvimento na operação "Mala Preta". O secretário de Fazenda, Eder Moraes, estima que as transações no setor do agronegócio geraram sonegação estimada em pelo menos R$ 3 bilhões desde o ano de 2005.

 

Os nomes das empresas não foram divulgados, por se tratar de ato interno. A reativação das inscrições somente será possível após as empresas obterem o atestado de idoneidade que é emitido pela Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra Administração Pública, responsável pelo inquérito.

 

Segundo Moraes, as investigações constataram que empresas foram abertas em nome de "laranjas" ou "testas de ferro", com a finalidade de fraudar o Fisco estadual. Os empresários declaravam nas notas fiscais que a operação era exportação, que é isenta do ICMS, mas a mercadoria era comercializada no mercado interno brasileiro.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.