Suspenso julgamento da Varig contra a União

A Varig garantiu, por enquanto, dois votos dos cinco ministros da 1ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) no julgamento, retomado hoje, em que se discute o direito de a empresa receber uma indenização bilionária por alegadas perdas sofridas com planos econômicos lançados desde 1986. Os valores devidos são divergentes e vão de R$ 1,9 bilhão, pelos cálculos da empresa, passam por R$ 5,6 bilhões, pelas estimativas do Ministério Público Federal, e chegam a R$ 7 bilhões pelas avaliações da Advocacia Geral da União (AGU).O relator do recurso, Francisco Falcão, e o presidente da 1ª Turma, Luiz Fux, reconheceram que a empresa tem de ser indenizada. Mas o julgamento foi interrompido por um novo pedido de vista do ministro Teori Zavascki. Não há previsão de quando a votação será retomada. O julgamento é estratégico porque outras quatro companhias reivindicam indenizações semelhantes - TAM, Rio Sul, Nordeste e Vasp.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.