Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Sustentabilidade, uma exigência crescente do mercado

EDITORIAL

O Estado de S.Paulo

28 de março de 2012 | 03h08

Tema da Rio + 20, a conferência mundial das Nações Unidas que deverá reunir mais de uma centena de chefes de Estado e de governo em junho, o desenvolvimento sustentável já marca fortemente os debates sobre o meio ambiente e marcará ainda mais no futuro.

Há algum tempo a sustentabilidade vem sendo discutida por pessoas preocupadas com o futuro do planeta. Trata-se, fundamentalmente, de suprir as necessidades atuais da humanidade sem comprometer a vida das próximas gerações. Para as empresas, isso quer dizer a busca do lucro, essencial para sua sobrevivência, sem prejudicar o planeta. A empresa ambientalmente responsável está preocupada com os ganhos, mas também com o respeito aos recursos naturais e aos fatores sociais envolvidos em suas atividades.

Grandes empresas vêm balizando suas ações de acordo com os princípios do desenvolvimento sustentável. No entanto, esta ainda é uma preocupação distante do universo das pequenas e médias empresas brasileiras.

Por seus efeitos sobre o planeta e por sua influência na formação da imagem da empresa - que se tornará tanto melhor quanto mais ela se preocupar com a preservação dos recursos naturais -, a sustentabilidade vai se tornando indispensável no meio empresarial, qualquer que seja o porte do empreendimento.

Pesquisas de consultorias independentes mostram que, na questão ambiental, cresce rapidamente o grau de exigência das empresas com relação a seus fornecedores de pequeno e médio porte, que cada vez mais são solicitados a apresentar certificações socioambientais. Essa exigência tende a se ampliar, à medida que mais consumidores igualmente condicionem a escolha do produto à responsabilidade ambiental de seu fabricante. Para a empresa preocupada com a sustentabilidade, o prêmio será maior facilidade na conquista de mercados e valorização de sua imagem pública.

Isso vale também para as micro, pequenas e médias empresas. Exploração dos recursos de forma planejada, garantindo sua reposição quando for possível; o uso racional de energia, sobretudo daquela produzida a partir de fontes limpas e renováveis; o consumo controlado da água, evitando o desperdício e adotando medidas para não poluir os recursos hídricos; redução do desperdício de matéria prima; e descarte adequado de resíduos estão entre as medidas que podem, e devem, ser adotadas pelas empresas.

Por sua capacidade de inovar e pela flexibilidade de sua gestão, as empresas de pequeno porte podem adotar a sustentabilidade com rapidez. Para isso, no entanto, seus dirigentes precisar estar dispostos a agir desse modo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.