Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Sustentável até na hora de gravar o comercial

Natura troca luz artificial por luz do sol e direciona à reciclagem lixo produzido pela equipe de 80 pessoas

O Estado de S.Paulo

08 de setembro de 2014 | 02h05

Para gravar o comercial do desodorante Ecocompacto, que estreia no próximo domingo, a Natura e a agência Taterka resolveram aplicar, na prática, o conceito sustentável do produto. Da economia de energia até a destinação correta do lixo produzido pelas cerca de 80 pessoas envolvidas na gravação, tudo foi pensado para criar o mínimo de impacto possível ao meio ambiente.

A luz artificial - um recurso geralmente usado para gravações de filmes publicitários mesmo em dias ensolarados - foi totalmente dispensada. "Usamos uma série de rebatedores para direcionar a luz do sol para a posição que a gente queria", disse Eduardo Simon, sócio e vice-presidente de operações da agência Taterka. Em produções de comerciais desse porte, o comum é deslocar geradores de energia (movidos a gasolina ou diesel) a cada uma das locações. O comercial da Natura tem cenas gravadas em três pontos diferentes de São Paulo - um trajeto de quase 40 km. A primeira delas mostra um homem andando de bicicleta com o Theatro Municipal ao fundo, próximo à Praça Ramos de Azevedo. O estacionamento da loja de esportes Decathlon, no Morumbi, aparece em seguida, com a ponte estaiada ao fundo. A produção aproveitou o local para simular o estacionamento de um supermercado.

Além do desafio da iluminação natural perfeita (a gravação foi adiada em uma semana na expectativa de um dia de céu mais aberto), a marca batalhou para encontrar o elenco ideal. Não fica evidente no comercial, mas o executivo na bicicleta é um personagem real, que usa esse meio para ir ao trabalho, segundo Simon. Também são reais a personagem que recicla pilhas e o grupo de crianças que está aprendendo a cuidar de uma horta coletiva. Foram necessários 15 dias para selecionar os personagens.

Além disso, os copos plásticos usados na gravação eram biodegradáveis. E todo o lixo gerado na gravação foi encaminhado a uma usina de reciclagem. O comercial será veiculado em TV aberta e TV fechada e terá versão impressa.

A Natura diz que o desodorante foi desenvolvido com uma tecnologia que permitiu à empresa reduzir o tamanho da embalagem pela metade. Assim, menos alumínio e gás propelente foram necessários, o que minimizou em 48% o impacto ambiental do produto./ NAYARA FRAGA

Tudo o que sabemos sobre:
NaturaSustentabilidadeMarketing

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.