Swap não indica ações do BC em dólar à vista--fonte

A estratégia do Banco Central (BC) de não rolar os contratos de swap reverso em vencimento no início do mês que vem não é uma sinalização sobre o que a autoridade monetária pode fazer no mercado à vista, disse nesta quarta-feira uma fonte da equipe econômica à Reuters.

ISABEL VERSIANI, REUTERS

21 de setembro de 2011 | 17h22

Segundo a fonte, a alta do dólar para mais de 1,85 real acontece por causa da interligação entre os mercados à vista e futuro --que está mais pressionado diante da percepção dos investidores de que o real está "mudando de patamar."

Com a perspectiva de valorização do dólar, os investidores procuram zerar suas posições vendidas na moeda norte-americana no mercado futuro, e para isso têm de comprar.

Se o mercado à vista não fosse tão influenciado pelo mercado futuro, o dólar estaria mais baixo, já que continuam a entrar capitais no país. Assim, o BC estaria comprando a moeda no mercado à vista, acrescentou a fonte.

"Estamos vendo um fluxo vigoroso de entrada no mercado à vista", afirmou a fonte, citando as receitas com exportações.

Entre os dias 1o e 16 passados, o país registrou entrada líquida de 8,515 bilhões de dólares, somando no ano 68,329 bilhões de dólares.

BC NÃO ROLARÁ SWAPS NO INÍCIO DE OUTUBRO

O BC anunciou nesta quarta-feira que não realizará leilão de swap cambial reverso para a rolagem de contratos no valor de 1,98 bilhão de dólares que vencem no início de outubro.

A decisão do BC havia sido interpretada no mercado como um sinal de que a autoridade monetária está sensível à mudança abrupta no câmbio, que entre outras consequências poderia alimentar a inflação.

Além disso, desde o dia 14 passado, a autoridade monetária parou de comprar dólares no mercado á vista.

Segundo a fonte do governo, decisões sobre futuros vencimentos de swap serão tomadas a cada momento, dependendo das condições do mercado.

Ainda há no mercado um estoque de 6,365 bilhões de dólares em contratos de swap reverso, com a maior parte vencendo até junho do ano que vem.

Os swaps reversos equivalem a uma compra de dólares no mercado futuro pela autoridade monetária. No contrato, o BC se compromete a pagar ao investidor a variação da Selic no período e recebe, em troca, a variação do dólar.

(Reportagem adiconal de Silvio cascione)

Tudo o que sabemos sobre:
BACENSWAPATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.