Swatch vai voltar a investir no Brasil

A maior empresa de relógios do mundo, a Swatch, prepara investimentos milionários para o Brasil a partir de 2010. O anúncio é do presidente da empresa com sede na Suíça, Nicolas Hayek. Segundo ele, o Brasil passará a ser o terceiro maior destino de investimentos da marca. Apenas os investimentos na sede suíça e no mercado asiático serão superiores aos que o Brasil receberá. A ideia é a de transformar o País em uma das plataformas de produção da empresa nos próximos anos.

AE, Agencia Estado

26 de setembro de 2009 | 09h04

O anúncio foi feito com exclusividade ao Estado, em uma entrevista concedida por um dos homens mais influentes do setor de relógios no mundo. Com dois relógios em cada pulso, Hayek evita ainda falar em valores. "Mas serão milhões", garante o executivo, que deixa claro que apenas um valor de base seria US$ 100 milhões para começar os projetos. "Isso seria apenas uma gota d''água inicial", disse o executivo.

A Swatch é a empresa que produz relógios como Omega, Breguet, Blancpain e outras 15 marcas. O grupo já teve uma fábrica no Brasil. Mas decidiu abandonar o País no início da década. Segundo Hayek, a empresa foi "chantageada". "As autoridades queriam propinas e não pagamos. Então, uma situação crítica foi criada. Decidimos sair do Brasil por isso. Somos uma empresa cotada na bolsa. Não podemos fazer isso e pagar propinas", disse. "Agora, será diferente", garante.

Hayek quer agora voltar, mas antes espera ser recebido pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para estabelecer as bases do investimento. "Nossos planos para o Brasil são enormes. Queremos transformar o País no terceiro maior destino de investimentos, depois da Suíça e Ásia", disse. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
swatchsuíçarelógio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.