JEENAH MOON/THE NEW YORK TIMES-28/4/2018
JEENAH MOON/THE NEW YORK TIMES-28/4/2018

T-Mobile compra Sprint por US$ 26 bi

Negócio irá combinar a terceira e a quarta maiores operadoras de telefonia móvel dos EUA; empresas devem enfrentar dura batalha regulatória

O Estado de S.Paulo

30 Abril 2018 | 05h00

NOVA YOK - A operadora T-Mobile acertou ontem a aquisição da Sprint em um acordo de US$ 26 bilhões. O negócio, se concretizado, irá combinar a terceira e a quarta maiores operadoras de telefonia móvel dos Estados Unidos. O acordo encerra quatro anos de negociações entre as empresas, preparando o terreno para a criação de uma operadora com 127 milhões de clientes e com mais condições de competir com AT&T e Verizon, que hoje lideram o mercado.

A alemã Deutsche Telekom, controladora da T-Mobile, terá 42% da companhia combinada, enquanto o grupo japonês SoftBank, dono da Sprint, ficará com 27%. A empresa será comandada pelo presidente da T-Mobile, John Legere.

Novas tecnologias e a concorrência acirrada na telefonia móvel foram os motivadores da fusão. Sprint e T-Mobile esperam economizar mais de US$ 6 bilhões com a união das operações, apesar dos diferentes estilos de gestão de seus controladores e do ambiente regulatório mais rigoroso nos EUA.

As empresas ainda devem enfrentar uma dura batalha regulatória em Washington, já que o governo republicano não vem sendo muito receptivo a megafusões. Em novembro do ano passado, o Departamento de Justiça entrou com uma ação para impedir a compra da Time Warner pela AT&T, um negócio avaliado em US$ 85 bilhões. Em 2011, o governo forçou AT&T e T-Mobile a abandonarem seu plano de fusão.

Negociações. A primeira rodada de conversas entre Sprint e da T-Mobile terminou sem sucesso em 2014, depois que o governo do então presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, expressou preocupações antitruste sobre o acordo.

No ano passado, as empresas abandonaram as negociações após divergências sobre quem controlaria a empresa combinada, disseram fontes. O SoftBank tem participação de quase 85% na Sprint, enquanto a Deutsche Telekom controla cerca de dois terços da T-Mobile.

+ O bilionário Son vai às compras

O fundador do SoftBank, Masayoshi Son, estava relutante em abrir mão do controle da Sprint, comprada em 2013 por US$ 22 bilhões. Uma fonte disse, no entanto, que a pressão para a Sprint lançar a tecnologia 5G deixou Son mais receptivo à ideia de uma fusão. Son fará parte do conselho da empresa combinada, o comando do colegiado será do presidente da Deutsche Telekom, Tim Höttges. O presidente da Sprint, Marcelo Claure, também terá assento no conselho.

O Softbank tem procurado reduzir sua própria dívida, que atingiu 15,8 trilhões de ienes (US$ 147 bilhões) no final de dezembro. A empresa disse que está planejando levantar dinheiro ao abrir o capital de sua unidade japonesa de telefonia móvel este ano./AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

 

Mais conteúdo sobre:
Sprint telefonia T-mobile

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.