finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Tabaré quer Chávez no Mercosul. Logo

Presidente uruguaio diz que ingresso da Venezuela como sócio pleno do bloco ''''beneficiará a região''''

Ariel Palacios, O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2009 | 00h00

O presidente do Uruguai, Tabaré Vázquez, ratificou ontem sua intenção de que a Venezuela consiga a aprovação formal para tornar-se a quinta sócia plena do Mercosul. O anúncio foi realizado em Montevidéu, após uma reunião com o presidente venezuelano Hugo Chávez. ''''Somos muito favoráveis ao ingresso da Venezuela'''', afirmou Vázquez, um socialista moderado que chegou ao poder em março de 2005.A entrada da Venezuela foi aprovada no ano passado pelos Parlamentos do Uruguai e da Argentina. No entanto, ainda falta a aprovação dos Congressos do Brasil e do Paraguai.A entrada no Mercosul encontrou obstáculos no Senado brasileiro. O conflito começou quando os senadores criticaram o fechamento do canal de Televisão RCTV por ordens de Chávez. O presidente venezuelano, pouco aberto às críticas, atacou o Senado do Brasil, acusando-o de ser um ''''filhote'''' do governo do presidente dos Estados Unidos, George W. Bush.Se não bastasse o revés nessa frente de combate, Chávez deparou-se com dificuldades também no Paraguai. Lá, a aprovação da entrada da Venezuela no Mercosul empacou no Congresso.Segundo Vázquez, a Venezuela deve entrar no Mercosul ''''o mais rapidamente possível, pois vai beneficiar a região''''. Chávez afirmou que a entrada da Venezuela foi o resultado de um acordo entre os presidentes dos quatro países do bloco. Mas ressaltou que, nos parlamentos, ''''houve um esfriamento inexplicável'''' da aprovação.Primeiro, relativizou: ''''São coisas do caminho, ossos do ofício. Acho que é um leve atraso, pois existe a mais firme vontade...o Brasil disse isso, por meio do chanceler Celso Amorim, que deve ir em breve à Venezuela, na semana que vem.''''Depois, foi mais duro: ''''Esse atraso já é um pouco incômodo'''', afirmou. Finalmente, encontrou um culpado - o de sempre: ''''Os Estados Unidos são os responsáveis...são a maior ameaça mundial... (George W. Bush) é o Conde Drácula do planeta!''''DIVISÕESApesar das declarações de apoio de Vázquez, o governo uruguaio está dividido sobre o ingresso da Venezuela no bloco.Recentemente, o ministro da Economia do Uruguai, Danilo Astori, afirmou que o ''''estilo de confronto'''' de Chávez era um ''''aspecto preocupante'''' para o Mercosul. Segundo Astori - freqüentemente citado como eventual sucessor de Vázquez -, a entrada da Venezuela chavista no bloco poderia ''''provocar problemas'''' na negociação de acordos comerciais com terceiros.O Uruguai e a Venezuela assinaram um Acordo de Segurança Energética durante a visita de Hugo Chávez a Montevidéu. Em troca, o presidente uruguaio, Tabaré Vázquez, se comprometeu a fazer todos os esforços possíveis para que a Venezuela seja incorporada como membro pleno do Mercosul.Segundo Chávez, o acordo solucionará a falta de petróleo do Uruguai ''''pelo resto do século''''. A parceria prevê que a Venezuela fornecerá petróleo ao Uruguai e a participação da refinaria uruguaia Ancap na exploração de uma parte das reservas da Faixa do Orinoco. Nessa tarefa, terá a parceria da estatal venezuelana de petróleo PDVSA e da Enarsa, da Argentina.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.