finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Tablet e micro-ondas entram na lista do Minha Casa Melhor

Nova relação começa a valer nesta quinta-feira, 17, e também inclui móveis para cozinhas, estante e rack; outros itens que integravam programa tiveram preços reajustados

Eduardo Cucolo, da Agência Estado,

16 de outubro de 2013 | 19h28

Atualizado às 19h52

BRASÍLIA - O governo federal ampliou nesta quarta-feira a lista dos produtos que podem ser adquiridos por beneficiários do Minha Casa Minha Vida com juros subsidiados.

Entram na nova lista do programa: tablet, forno de micro-ondas, móveis para cozinha, estante e rack.

A decisão foi tomada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), em reunião extraordinária, e passa a valer a partir desta quinta-feira.

O preço máximo definido para o tablet é de R$ 800; do micro-ondas, de R$ 350; dos móveis para cozinha, de R$ 600. Estantes ou rack podem custar até R$ 350.

"A inclusão desses itens atende a uma demanda por novos produtos dos beneficiários do programa. A linha de crédito do Minha Casa Melhor, operada pela Caixa Econômica Federal, continua sendo de R$ 5 mil. As demais condições do programa também não serão alteradas, nem o volume total disponível da linha de crédito anunciado inicialmente", disse o CMN em nota.

Reajustes dos outros itens. Os demais produtos que já faziam parte da lista tiveram seus preços máximos reajustados.

De acordo com o CMN, o aumento tem como objetivo "ampliar as opções disponíveis, especialmente em termos de qualidade, para os beneficiários e também para aumentar a competição entre os fabricantes".

O preço limite para aquisição de máquina de lavar passou de R$ 850 para R$ 1.100. De cama de solteiro, berço ou cama-box de solteiro, subiu de R$ 320 para R$ 400. Para mesa com cadeira, de R$ 300 para R$ 400; sofás, de R$ 375 para R$ 600; e guarda-roupas, de R$ 380 para R$ 700.

Os preços anteriores haviam sido definidos quando o programa foi lançado, na primeira quinzena de junho. A Caixa Econômica Federal recebeu do governo aporte de recursos para poder fazer os financiamentos de R$ 3 bilhões (dentro de um aporte total de R$ 8 bilhões para capitalizar a instituição).

Os juros do programa são de 5% ao ano. É possível financiar até R$ 5.000 em compras por um prazo de 48 meses.

Tudo o que sabemos sobre:
MINHA Casa Melhor

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.