Tailândia junta-se a Brasil e Austrália em processo na OMC

A Tailândia concordou em juntar-se ao Brasil e à Austrália para a apresentação de uma queixa na Organização Mundial do Comércio (OMC) contra os subsídios que a União Européia (UE) dá aos exportadores de açúcar. O governo tailandês aprovou um orçamento inicial de 7 milhões de bahts (1 baht = U$ 0,0233) para a Thai Cane and Sugar Corp. para representar o país na queixa. Os três países estão contratando advogados e reunindo informações, segundo o secretário geral do Escritório de Cana e Açúcar em Bangkok, Ruangsak Ngamsompark. A Tailândia é o terceiro maior exportador mundial de açúcar, depois de Brasil e Austrália. O setor de açúcar acredita que os preços mundiais serão elevados caso a UE remova os subsídios à produção e exportação, que têm causado excesso de oferta e queda nos valores da commodity. "O fim dos subsídios europeus ao açúcar permitirá que o movimento de preços mundiais reflita o valor real do produto, baseado nos custos de produção e na oferta e demanda", completou Ruangsak. O processo na OMC contra os subsídios já está em andamento, e a organização deve formar em breve um painel para investigar os subsídios.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.