coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

TAM anuncia nova rota e Gol amplia frota em meio à crise da Varig

Em meio à disputa pelo espaço deixado no mercado aéreo pela combalida Varig, a TAM anunciou nesta terça-feira que operará uma nova rota, enquanto a Gol informou que passa a contar com uma nova aeronave em sua frota.A TAM comunicou que a partir de 17 de julho iniciará uma rota com vôos diários entre o Rio de Janeiro e Boa Vista (RR), que terão escalas em Brasília e Manaus. Os vôos serão feitos com aviões Airbus A320, com capacidade para 168 passageiros.Com a nova rota, a TAM passa a oferecer vôos a 26 capitais dos 27 estados do Brasil e aumenta para 47 seu número de destinos no país.Por sua vez, a Gol anunciou a incorporação de uma nova aeronave, o que eleva para 50 o número de aviões de sua frota, formada por modelos Boeing 737.A nova aeronave, junto com outra incorporada na semana passada, permitirá à companhia aérea, criada em 2001, elevar suas operações diárias de 500 para 530 entre 47 cidades do Brasil e da América do Sul.A Gol informou ainda que pretende fechar o ano com 62 aeronaves em sua frota, em lugar dos 60 que tinha previsto. A companhia quer aumentar esse número para 75 em 2007 e 81 em 2008.A revisão de seu plano de frota foi decidida para atender o aumento do tráfego de passageiros no Brasil, calculado em 18% este ano.Crise Diante do espaço cedido nos últimos anos pela Varig, que durante muito tempo foi líder absoluta tanto do mercado nacional como do internacional, a TAM agora é a número um do setor, e Gol, a segunda.A participação da TAM no mercado nacional cresceu de 42,7% em maio de 2005 para 45,6% em maio deste ano, enquanto a da Gol subiu de 27,2% para 33,6% no mesmo período.A participação de Varig caiu para 14,4% em maio, contra 26,52% no mesmo mês de 2005.O agravamento da crise da Varig, que está à beira da falência e suspendeu mais de 50% de seus vôos programados nos últimos dias, levou seus dois principais concorrentes a iniciar negociações com as autoridades aeronáuticas para tentar obter as rotas abandonadas pela antiga líder do mercado.Ambas propuseram que essas rotas sejam distribuídas de forma proporcional à participação que cada uma tem atualmente no mercado.Entre as rotas internacionais abandonadas pela Varig, estão as de Milão, Munique, Madri, Paris, Nova York, Miami, Los Angeles, Cidade do México, Montevidéu, Assunção e Bogotá.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.