Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

TAM: demanda doméstica cai, mas internacional cresce

A demanda por vôos domésticos (regulares e fretamentos) da TAM caiu 0,2% no terceiro trimestre de 2007, em comparação com o mesmo período do ano anterior, totalizando 5,155 milhões de passageiros. A empresa encerrou o período com uma participação no mercado doméstico de 49,3%, com redução de 1,8 ponto porcentual sobre igual intervalo de 2006.A oferta doméstica (medido em assento-quilômetro oferecido - ASKs) cresceu 12,7% entre julho e setembro sobre o mesmo período de 2006. Segundo a companhia, o comportamento deve-se ao aumento da frota ativa no trimestre. No período, a empresa acrescentou a sua frota 18 aeronaves A320, duas A319 e duas A321, compensado pela devolução de nove Fokker 100 e outras seis em processo de devolução, além da redução das horas voadas por aeronave para 12,6 horas/dia na média do trimestre.InternacionalA demanda por vôos internacionais da empresa cresceu 55,3% no terceiro trimestre, para 3,162 milhões de passageiros. A companhia encerrou o período com participação de 66,9%, ante índice de 54,9% de igual intervalo de 2006.A TAM elevou a oferta nas rotas internacionais em 73,4% de julho a setembro de 2007 sobre igual trimestre de 2006. A empresa explica que esse aumento na oferta foi decorrente da adição de um A330 e três MD11 na malha operacional internacional de longo curso, o que permitiu a realização da segunda freqüência diária entre São Paulo e Nova York, além do início dos vôos diários para Londres e Milão e o terceiro vôo diário para Paris. Na América do Sul a empresa iniciou vôos diários para Córdoba e Caracas, e aumentou as operações para Buenos Aires.

BETH MOREIRA, Agencia Estado

09 de novembro de 2007 | 10h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.