TAM pede registro de companhia aberta para controlada

Multiplus, unidade de fidelização da empresa aérea, fará oferta de ações com esforços de venda no exterior

Luana Pavani e Equipe, da Agência Estado,

16 de dezembro de 2009 | 09h09

A TAM protocolou nesta terça-feira, 15, na Comissão de Valores de São Paulo (CVM) um pedido de registro de companhia aberta e de oferta pública de ações de sua controlada Multiplus. A empresa foi lançada em junho, como unidade de fidelização tanto da companhia aérea quanto de parceiros.

 

Na ocasião, os 5,9 milhões de clientes associados ao programa TAM Fidelidade foram migrados automaticamente para o Multiplus Fidelidade. No lançamento da Multiplus, o diretor de Relações com Investidores da TAM, Líbano Barroso, atual presidente interino, não descartava a possibilidade de abertura de capital e citava como exemplo a empresa canadense Aeroplan, que se tornou independente e lançou ações em bolsa. No ano passado, o negócio de fidelidade da TAM registrou faturamento de R$ 528 milhões.

 

O executivo assina também o comunicado desta quarta-feira, 16, no qual consta que a oferta de ações ordinárias da Multiplus será coordenada pelo Banco BTG Pactual (líder) e Credit Suisse, e terá esforços de venda no exterior. "A oferta global terá início após a concessão do devido registro pela CVM", diz a nota, sem uma data precisa. As demais características da oferta serão informadas "oportunamente".

Tudo o que sabemos sobre:
TAMaçõesoferta

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.