Adriano Machado/ Reuters
Adriano Machado/ Reuters

Tarcísio de Freitas afirma que novo fundo de infraestrutura agrega outros 3 que somam R$ 35 bilhões

Ministro da Infraesutruta afirmou ainda que as estatais de logística Valec, Infraero e EPL devem ser unificadas

Fernanda Nunes e Matheus Piovesana, O Estado de S.Paulo

11 de novembro de 2019 | 15h34
Atualizado 11 de novembro de 2019 | 18h09

Correções: 11/11/2019 | 18h09

O ministro da InfraestruturaTarcísio Gomes de Freitas, confirmou que três fundos já existentes serão agregados num novo fundo de infraestrutura. Hoje, esses três fundos somam R$ 35 bilhões em recursos. A ideia é usar esse dinheiro no fomento a segmentos como os de aviação e naval.

"Eu não deixaria de assistir nenhuma das áreas e teria, na verdade, estoque, fôlego financeiro para fazer muito mais com o que a gente tem hoje", afirmou, em palestra promovida pela Câmara Espanhola de Comércio no Brasil.

Além disso, o ministro afirmou ainda que as estatais de logística Valec, Infraero e EPL devem ser unificadas e transformadas em uma única empresa até o fim de 2020. Segundo ele, os fundos de pensão de empresas ligadas à sua pasta também serão fundidos.

Correções
11/11/2019 | 18h09

A matéria publicada às 15h34 continha uma incorreção. O novo fundo de infraestrutura a que se referiu o ministro de Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, não começará com R$ 35 bilhões. Esse valor, na verdade, é a soma dos valores atualmente alocados nos três fundos que serão fundidos no novo instrumento. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.