finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Tarifa bancária será discutida em reunião extra do CMN

O secretário de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda, Nelson Barbosa, informou esta tarde, em audiência na Comissão de Defesa do Consumidor, na Câmara dos Deputados, que a proposta de regulação das tarifas bancárias deverá ser definida em reunião extraordinária do Conselho Monetário Nacional (CMN) prevista para próxima semana.Segundo Barbosa, embora esteja marcada para depois de amanhã (dia 22) a reunião de novembro do CMN, a equipe econômica decidiu adiar a discussão da proposta e incluí-la na agenda de uma reunião extraordinária, porque o ministro da Fazenda, Guido Mantega, está muito ocupado nas negociações com congressistas tentando garantir a aprovação da emenda constitucional que prorroga até 2011 a vigência da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF)."A proposta técnica (sobre as tarifas bancárias) está concluída, mas há alguns detalhes que precisam ser amarrados", disse Barbosa. Ele disse que ainda não está definido o dia da reunião extraordinária do CMN, porque, também na próxima semana, haverá reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que define a taxa de juros básicos da economia.O diretor de Normas do Banco Central (BC), Alexandre Tombini, informou pouco antes, na mesma audiência na Câmara, que o CMN deverá fixar um período durante o qual os valores das tarifas bancárias ficarão congelados. Segundo Tombini, ainda não está definida a duração desse período, mas ele deverá variar "entre 30 dias e 365 dias".

ISABEL SOBRAL, Agencia Estado

27 de novembro de 2007 | 17h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.