bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Tarifa de energia elétrica é reajustada em vários Estados

A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), aprovou nesta terça-feira reajustes de tarifas de energia em vários Estados do País. As novas cobranças variam de acordo com a revendedora, e vigorarão a partir de diferentes dias, seguindo a região de atendimento. Na Companhia de Eletricidade de Nova Friburgo (Cenf), no Rio de Janeiro, o reajuste médio é de 6,08%. Para os consumidores residenciais haverá redução de 8,51%, enquanto para os industriais o aumento será de 9,12%. No ano passado, o reajuste médio autorizado para a Cenf havia sido de 9,75%. As novas tarifas começarão a valer retroativamente desde o dia 18. A Nova Friburgo fornece energia a 83.440 unidades de consumo, no município fluminense.Ainda no Rio de Janeiro, foi autorizado um reajuste médio de 19,43% nas tarifas da Companhia Força e Luz Cataguazes Leopoldina (CFLCL). Para os consumidores residenciais, o aumento será de 13,94%, enquanto que as indústrias clientes da empresa terão um aumento de tarifa de 23,67%. As novas tarifas passaram a vigorar retroativamente desde o último domingo. O superintendente interino de regulação econômica da Aneel, Eduardo Alencastro, explicou que esse aumento nas tarifas da empresa foi fortemente influenciado pelo fato de que ainda neste ano incidiu no reajuste da empresa parcela da revisão tarifária periódica, calculada em 2004. Na época, para dissolver o impacto total do aumento da tarifa naquela ano, a Aneel decidiu parcelar o reajuste em quatro anos. De qualquer modo, o reajuste médio autorizado de 19,43% foi ainda inferior ao pleito que a empresa havia feito, de aumento médio de 22,74%. A Cataguazes Leopoldina abastece 320 mil unidades de consumo em 69 municípios da Zona da Mata de Minas Gerais e também o município de Sumidouro, no Rio de Janeiro. Paraná No Paraná, a nova tarifa será, em média, 5,12% mais cara para os consumidores da Companhia Paranaense de Energia Elétrica (Copel).Para os clientes residenciais haverá redução de 12,71% na cobrança, enquanto as indústrias abastecidas pela Copel pagarão 1,44% a mais nas suas tarifas de energia. Os novos valores começarão a valer no próximo sábado, dia 24.Alencastro explicou que a redução nas tarifas dos consumidores residenciais foi influenciada pelo fato de ao longo do ano passado a Copel geradora ter dado descontos no preço das energia que vendeu à Copel distribuidora.O superintendente ponderou, entretanto, que os clientes residenciais da Copel poderão não sentir na prática uma redução de 12,71% em suas contas. Ele explicou que a redução percebida pelos consumidores deverá ser menor que o porcentual aprovado hoje uma vez que a Copel distribuidora já pratica descontos em suas tarifas para os consumidores adimplentes. A Copel fornece energia a 3,27 milhões de unidades de consumo em 393 municípios do Paraná, incluindo Curitiba.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.