Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Tarifa de energia só cairá em 2005 com novo modelo

O secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia (MME), Maurício Tolmasquim, disse hoje que a redução de tarifas provocada pelo novo modelo para o setor elétrico só chegará ao consumidor a partir de 2005. ?Em 2005 o volume de energia do pool será maior. Aí vai dar para o consumidor sentir o efeito?, disse, após palestra na Coppe/UFRJ. O pool será formado, em um primeiro momento, pela energia dos contratos iniciais do setor.Em 2005, 75% da energia dos contratos estará liberada e grande parte desse volume será vendida pelo pool. O preço das tarifas será calculado com base na energia barata das antigas hidrelétricas e a energia mais cara dos novos projetos de geração.A apresentação na Coppe foi o primeiro debate público do modelo e recebeu muitas ressalvas. Uma delas é proposta de licitação das usinas antigas após o fim da concessão. O modelo prevê que, ao fim da concessão de uma usina, ela seja licitada novamente para forçar um redução no preço da tarifa ? já que todas as novas licitações serão vencidas por quem apresentar a menor tarifa.Segundo os presidentes da Cemig, Flávio Decat, e de Furnas, José Pedro Rodrigues, a nova venda das usinas pode representar a privatização delas. ?Quando vencer a concessão de Três Marias (usina de Furnas), por exemplo, pode vir uma empresa privada e comprá-la. Isso é privatização?, disse. Tolmasquim disse que ainda não havia atentado para o fato e vai estudar a proposta para conferir se há mesmo essa brecha. ?Se houver, vamos rever?, disse. ?Em nenhum momento passou pela cabeça deste governo privatizar nenhuma geradora?.

Agencia Estado,

25 de julho de 2003 | 15h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.