Tarifa de ônibus foi item de maior pressão para inflação em SP

O reajuste dos preços da passagem de ônibus na capital paulista fez com que a tarifa fosse a principal alta no Índice de Preços ao Consumidor (IPC), calculado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) na segunda quadrissemana de março. O item apresentou variação de 5,33%, o que corresponde a 0,23 ponto porcentual ou 60,5% do IPC (0,38%). Segundo estimativa do coordenador do IPC-Fipe, Paulo Picchetti, o principal impacto deste reajuste será verificado na virada do mês, quando ele espera uma pressão de 0,55 ponto porcentual. "O índice cheio deve avançar bastante nas próximas quadrissemanas, até atingir a minha previsão de 0,80% no fechamento de março", considerou.Desta projeção para o mês, 0,59 ponto porcentual estará relacionada apenas a transportes públicos, já que, além do ônibus, o aumento dos preços das tarifas de lotação responderá por 0,03 ponto porcentual e o bilhete de integração, 0,01 ponto porcentual. Para o próximo mês, o reajuste dos ônibus ainda pressionará inflação em 0,09 ponto porcentual.Além de manter a projeção do custo de vida para o mês de março, Picchetti também não alterou sua estimativa para o IPC-Fipe de 2005, que deverá fechar o ano entre 5% e 5,5%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.