seu bolso

E-Investidor: O passo a passo para montar uma reserva de emergência

Tarifa de telefonia pode não sofrer reajuste este ano

As tarifas da telefonia fixa podem não ter reajuste neste ano, de acordo com avaliação do presidente da Associação Brasileira das Concessionárias de Serviço Telefônico Fixo Comutado (Abrafix), José Fernandes Pauletti. A data base para o reajuste das ligações locais, interurbanos e chamadas internacionais é dia 30 deste mês. A possibilidade de não haver aumento é considerada pelas empresas porque a correção dos índices usados para aumentar as tarifas tem ficado próxima de zero. Até o ano passado, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) utilizava o Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) para corrigir as tarifas, mas, a partir deste ano passará a usar o Índice de Serviços de Telecomunicações (IST), que foi elaborado pela Agência em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).O próximo reajuste ainda considerará a variação do IGP-DI de junho a dezembro do ano passado, que foi negativa de 0,75%, mais a variação do IST de janeiro a maio deste ano. Até abril, a variação acumulada do IST foi de 1,1%, mas o acumulado até maio somente será anunciado no dia 20 de junho. Depois de calculada a correção do índice, a Anatel subtrai desse resultado um porcentual a título de produtividade, que também será calculado pelo órgão regulador."Deve ficar próximo de zero", avalia Paulletti. Segundo ele, se o porcentual for muito pequeno, é provável que as empresas não repassem o aumento para os consumidores. No ano passado, o reajuste médio foi de 7,27% para as ligações locais, de 2,95% para os interurbanos e houve uma redução de 7,9% para as chamadas internacionais. A mudança de IGP-DI para IST foi decidida em 2003, quando a correção do IGP-DI foi próxima de 30%, decorrente de uma alta na cotação do dólar no ano anterior.

Agencia Estado,

07 de junho de 2006 | 14h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.