Tarifa de TV a cabo pode subir, diz associação

A proibição da cobrança do ponto extra de recepção dos sinais de TV por assinatura - medida incluída no novo regulamento para o setor da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) - pode trazer aumento do custo das tarifas para todos os consumidores do serviço. A avaliação é do presidente da Associação Brasileira de TV por Assinatura (ABTA), Alexandre Annenberg. Segundo ele, a cobrança ocorre porque não há simples ativação do serviço, mas a prestação de atividade permanente. "Há uma ativação permanente da rede, que funciona independentemente de a TV estar ligada. Existem custos para operar essa rede." Caso não sejam pagos, as empresas precisarão cobrir esses custos. "Então, terei de cobrar de todos", diz. A vedação da cobrança do ponto extra de recepção e outras medidas do novo regulamento passarão a valer dentro de 180 dias. Segundo entendimento da Anatel, o usuário já paga pela programação ao contratar o ponto principal. Portanto, não deve ser cobrada a mesma programação recebida no ponto adicional. Para o presidente da ABTA, no entanto, atualmente o cliente já não é cobrado pelo conteúdo que recebe. "O que ele paga é a operação da rede. Por isso, o valor de um ponto extra corresponde de 20% a 25% do ponto normal."As empresas do setor devem se reunir hoje para avaliar a resolução da Anatel. A NET, maior operadora de TV por assinatura do País, informou por meio de assessoria de imprensa que tem prazo de 180 dias para atender as determinações e que, até lá, nada muda para os clientes. A TVA informou que adota o posicionamento definido pela associação do setor.As ações PN da NET caíram 7,21% ontem na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Na avaliação da corretora Ativa, o novo regulamento da Anatel deve implicar em redução de receita das empresas. A corretora estima que o valor total da cobrança de pontos extras corresponde atualmente a algo entre 3% e 5% da receita total anual da companhia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.