Tarifas de celular terão aumento de até 9,9%

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) anunciou ontem as novas tarifas que 23 operadoras de telefonia celular estão autorizadas a cobrar a partir de 1.º de fevereiro. Em média, a cesta de serviços - incluindo a habilitação e a assinatura mensal - pode aumentar 9,9%. Mas o Valor da Comunicação 1 (VC-1) - que equivale a uma chamada local, o serviço mais usado pelos assinantes, deve subir 12%. Em São Paulo, o reajuste autorizado para a Telesp foi de 10,57% e para a Tess, de 13,22%, de modo a equiparar as tarifas das duas. Em ambos os casos, o valor máximo que pode ser cobrado pelo minuto da ligação passa a ser de R$ 0,5146. Dois dias antes de procederem o ajuste, as operadoras deverão publicar nos jornais suas novas tarifas. "As empresas podem praticar valores abaixo do limite máximo", disse o presidente da Anatel, Renato Guerreiro. As operadoras estavam reivindicando a reposição completa da inflação medida pelo Índice Geral de Preços DI (IGP-DI) desde o último reajuste, que varia de empresa para empresa, podendo chegar a até 25%. Esse mecanismo de correção está previsto nos contratos de concessão, mas a Anatel se apegou a um outro dispositivo contratual para segurar os aumentos: a necessidade de as tarifas de telefonia celular estarem adequadas às da telefonia fixa.Confira no quadro abaixo o preço por minuto e o reajuste que será aplicado pelas operadoras.OperadoraPreço por minutoReajuste em %Telefônica (RS)0,49676,70Telemig (MG)0,51468,79CTBC (Franca -SP)0,51469,18Telefônica (RJ-ES)0,51469,41Telesp (SP)0,514610,57Americel (Centro-Oeste)0,496710,79Telet (RS)0,496710,82Telefônica (BA)0,519112,57Tess (Interior SP)0,514613,22Maxitel (MG)0,514616,95ATL (RJ-ES)0,454022,70Global Telecom (PR)0,511025,36

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.