finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Tarifas em Congonhas devem subir com readequações, diz TAM

Segundo diretor financeiro da aérea, transferência de vôos para Cumbica elevará preços de vôos em Congonhas

BETH MOREIRA, Agencia Estado

10 de agosto de 2007 | 13h14

O diretor Financeiro e de Relações com Investidores da TAM, Líbano Barroso, afirmou nesta sexta-feira, 10, que a transferência de vôos para Guarulhos, para cumprir a readequação da malha determinada pelo Conselho Nacional de Aviação Civil (Conac), deverá ter um impacto sobre as tarifas dos vôos que permanecerem em Congonhas. "A tendência é de que as tarifas sejam superiores às aplicadas para Guarulhos", disse. De acordo com Barroso, a tendência é de que após a implementação das mudanças, Congonhas seja um aeroporto predominantemente de vôos de negócios. O executivo avalia, no entanto, que as mudanças não devem impactar a ocupação dos vôos. Questionado se haverá alteração nas tarifas de pousos e decolagens dos aeroportos por conta das futuras mudanças, Barroso disse que ainda não houve nenhuma sinalização do governo sobre o tema. Poltronas Em relação à exigência do ministro da Defesa, Nelson Jobim, para aumentar o espaço entre as poltronas, o presidente da empresa, Marco Antonio Bologna, destacou que a TAM ainda não foi comunicada, mas acredita que o tema deverá ser estudado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). "Vamos acatar o que for determinado", disse. Segundo Bologna, a distância média entre as poltronas dos aviões operados pela TAM atualmente é de 30 polegadas - o homologado pelo fabricante e pela própria Anac. Possíveis impactos na receita, no entanto, ainda não podem ser medidos. "É cedo para fazer qualquer referência. Vamos aguardar", completou Barroso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.