Tarifas postais ficam mais caras em 1º de janeiro

Os preços variam de acordo com o tipo e peso da encomenda

Leonardo Goy, da Agência Estado,

30 de dezembro de 2009 | 13h25

Os serviços da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) ficarão mais caros a partir de 1º de janeiro. Portaria do Ministério da Fazenda publicada no Diário Oficial autoriza os reajustes das tarifas da empresa. Os preços variam de acordo com o tipo e peso da encomenda.

 

Para cartas nacionais não comerciais (de pessoas físicas) que pesem até 20 gramas, por exemplo, a tarifa subiu 7,7%, de R$ 0,65 para R$ 0,70. Já as correspondências comerciais de até 20 gramas - para destinos nacionais - passarão a custar R$ 1,05, um reajuste de 5% ante o R$ 1,00 que vinha sendo cobrado até hoje. No caso dos serviços telegráficos nacionais o reajuste médio a ser aplicado é 8,4%.

 

O envio de cartas para o exterior vai subir, em média, 8,9% e os telegramas internacionais ficarão 13,3% mais caros. Em nota à imprensa, a ECT explica que os reajustes de suas tarifas são anuais e se baseiam nos custos operacionais da empresa, como preços de combustíveis, contratos de aluguel, transportes, salários, entre outros. Antes desse aumento, o último reajuste havia sido aplicado em julho do ano passado.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.