Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Tarso defende partilha igualitária do royalty do pré-sal

O governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT), lançou um movimento pela distribuição igualitária dos royalties do petróleo do pré-sal entre todos os entes federados, durante as comemorações da Revolução Farroupilha hoje, em Porto Alegre. "O petróleo é da União e não dos Estados onde as jazidas estão situadas", destacou. "Sendo uma riqueza da União, é óbvio que a partilha deve ser justamente federada e que atenda aos interesses da União", prosseguiu. "Esses interesses não terminam na divisa de cada Estado". O ato contou com a presença de cerca de 80 pessoas, entre as quais representantes do PT, PC do B, PDT e PPL.

ELDER OGLIARI, Agencia Estado

20 de setembro de 2011 | 21h18

No discurso, Tarso disse que o movimento dos gaúchos pela "partilha justa" já existia, mas foi tornado público agora, num momento em que o debate está maduro. Também conclamou todos os partidos, "independentemente da posição que tenham sobre o governo do Estado ou o governo federal", a participar dele.

Apesar de anunciar um movimento, Tarso não detalhou as propostas que defende e nem o roteiro de contatos e atos futuros. "A proposta é dividir por todos, igualmente, mas, se não tivermos maioria, vamos para a melhor possibilidade", resumiu, ao ser questionado pelos repórteres ao final do discurso.

"Nós não podemos partir de algo que não seja esse mínimo, essa base que indica a justiça", insistiu, para explicar que esse é o ponto de partida, mas que está disposto a negociar um acordo que seja bom para todos os lados. Tarso também revelou que já está tratando do assunto com os governadores de outros Estados, mas não revelou o teor das negociações e em que fase elas estão.

Tudo o que sabemos sobre:
royaltiesTarso Genrodistribuição

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.