Tata: marcas Land Rover e Jaguar serão mantidas

O presidente da montadora indiana Tata Motors, Ratan Tata, afirmou que está orgulhoso pelo fato de as marcas de luxo Jaguar e Land Rover fazerem parte dos negócios de sua empresa, após a compra das montadoras por US$ 2,3 bilhões. "Nós temos enorme respeito pelas duas marcas e vamos nos empenhar para preservar a herança e a competitividade delas, mantendo suas identidades intactas."O executivo da Tata também afirmou acreditar que um empréstimo-ponte (empréstimo emergencial de curto praz) de US$ 3 bilhões para ajudar na compra das duas marcas será fechado dentro de alguns meses.O executivo-chefe e presidente da Ford Motor, Alan Mulally, afirmou que está confiante em que as marcas Land Rover e Jaguar continuarão a ter sucesso sob a administração da companhia indiana. "A Jaguar e a Land Rover são marcas extraordinárias."Sob os termos do acordo, a financeira Ford Motor Credit também vai fornecer financiamento de até 12 meses para as revendedoras e os consumidores das duas marcas. Além disso, a Ford vai colocar quase US$ 600 milhões dos recursos da venda nos fundos de pensão da Jaguar e da Land Rover.De acordo com fontes próximas ao assunto, esperava-se que o atual executivo-chefe das duas marcas, Geoff Polites, continuasse administrando os negócios se eles fossem vendidos para a Tata. No entanto, o comunicado da Ford não detalhou o futuro do executivo dentro da companhia.A venda das duas marcas - por muito menos do que a Ford pagou originalmente por elas - veio no momento em que o negócio central da Ford, lucrativo em todo o mundo, está no vermelho no mercado americano. A companhia registrou mais de US$ 15 bilhões em perdas durante os últimos dois anos. Ultimamente a Land Rover tem apresentado bom desempenho, mas a Jaguar sofreu grandes declínios nas vendas no mercado dos Estados Unidos.O secretário-geral do Unite, o maior sindicato de trabalhadores do Reino Unido, Tony Woodley, também declarou estar satisfeito com o acordo. "Com os compromissos assumidos pela Tata, como os termos de longo prazo para fornecimento de componentes, nós estamos obviamente contentes por ela estar no jogo." As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.