Tata Steel deve elevar novamente oferta pela Corus

A Tata Steel deve elevar o valor de sua oferta pela siderúrgica européia Corus para tentar afastar a concorrência da brasileira Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) antes do prazo de terça-feira definido por autoridades britânicas, afirmaram analistas. O vencedor da batalha pelo grupo europeu se tornará a quinta maior siderúrgica do mundo. A rivalidade já fez as ações da Corus saltarem para o maior nível em sete anos. A CSN ofereceu 515 pence por ação da Corus, equivalente a US$ 9,6 bilhões, superando duas ofertas feitas pela Tata Steel. Mas a siderúrgica indiana pode ainda melhorar sua proposta antes do prazo final de 30 de janeiro. "Informações sobre uma oferta de até 600 pence são muito agressivas. Quinhentos e oitenta pence pode ser o valor mais alto que a Tata deve propor", disse Kanan Shah, analista da Networth Stock Broking. A Tata Steel começou a batalha de ofertas pela Corus com proposta de 455 pence por ação e a elevou para 500 pence. A CSN fez uma única oferta de 515 pence por ação. O órgão regulador de aquisições da Grã-Bretanha definiu que se ambas as empresas continuarem competindo pela Corus até as 14h30 (horário de Brasília) de terça-feira, permitirá uma série rápida de nove rodadas de ofertas a portas fechadas. Um vencedor deve ser anunciado até 1h (horário de Brasília) de quarta-feira. "Eles (Tata Steel) estão sérios sobre a aquisição uma vez que ela abrirá acesso a novos mercados e a um melhor portfólio de produtos. Eles podem fazer outra proposta", disse um analista que pediu para não ser identificado. A Macquarie Research, em nota no mês passado, afirmou que "excluindo qualquer benefício de sinergia, estimamos que o acordo será neutro em termos de lucro por ação para a Tata Steel a 540 pence por ação da Corus". Ambas as siderúrgicas têm interesse em capturar a Corus para tornarem-se uma companhia significativa na indústria mundial de aço, que atravessa fase de consolidação, após a aquisição da Arcelor pela Mittal Steel no ano passado. Se a Tata vencer a batalha pela Corus, será a maior aquisição de uma companhia internacional feita por uma empresa indiana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.