Tata Steel tem prejuízo de US$ 424,8 mi no ano fiscal 2009/10

Um ano antes, mineradora havia lucrado pouco mais de US$ 1 bilhão

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

26 de maio de 2010 | 13h25

A Tata Steel, a oitava maior mineradora do mundo em produção, disse que registrou um prejuízo líquido consolidado de 20,09 bilhões de rupias (US$ 424,8 milhões) no ano fiscal 2009/2010 encerrado em 31 de março, em razão do desempenho fraco da sua subsidiária anglo-holandesa Corus. A empresa tinha registrado um lucro líquido de 49,51 bilhões de rupias no mesmo ano fiscal anterior.

Segundo a companhia, as vendas líquidas recuaram 30% no ano fiscal 2009-2010, para 1,02 trilhão de rupias (US$ 21,5 bilhões), de 1,46 trilhão de rupias no ano fiscal anterior. Os resultados consolidados incluem os resultados das operações da companhia na Índia, Sudeste da Ásia e da sua subsidiária Corus.

O executivo-chefe da Corus, Kirby Adams, disse que uma queda no volume de vendas e nos preços corroeu as receitas e o lucro da empresas no ano fiscal 2009-2010.

A Corus, que produz e vende a maior parte de seus produtos na Europa, disse que as receitas recuaram para US$ 14,95 bilhões no ano fiscal 2009-2010, de US$ 24,39 bilhões. O volume de vendas foi de 14,8 milhões de toneladas, menor que as 19,9 milhões de toneladas no ano fiscal anterior.

Embora a Corus não tenha fornecido uma comparação com o preços do aço no ano passado, Adams afirmou que a realização média no período de outubro a março recuou para US$ 979,00 por tonelada, de US$ 1.003,00 por tonelada no primeiro semestre do ano financeiro, encerrado em março.

Adams disse que a demanda por aço na Europa está melhorando na maioria dos setores, exceto na construção, e ele acredita que ela poderá aumentar até 20% em 2010, para 140 milhões de toneladas.

Segundo o executivo, a capacidade de utilização das usinas siderúrgicas da Corus poderá aumentar para 85% no primeiro semestre do atual ano fiscal, em comparação com 81% no período de outubro a março do ano fiscal anterior.

A Tata Steel disse, no seu balanço financeiro, que possuía uma dívida bruta de US$ 11,82 bilhões em 31 de março, e reserva de caixa de US$ 1,9 bilhão. A companhia afirmou que pagou 112,5 bilhões de libras em empréstimos em maio, enquanto procura pagar outros US$ 250 milhões no atual ano fiscal, que será encerrado em 31 de março de 2011. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.