Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Tataraneta de Ford mostra o EcoSport

Com uma festa na Bahia, executiva vai lançar o primeiro veículo global desenvolvido pela empresa no País

Entrevista com

CLEIDE SILVA, O Estado de S.Paulo

22 de abril de 2012 | 03h08

A Ford realiza hoje o evento mais caro de apresentação de um modelo feito em seus 93 anos de Brasil. Uma festa para 50 mil pessoas, em pleno Farol da Barra, cartão postal da Bahia, vai mostrar o novo EcoSport, primeiro veículo global desenvolvido pela empresa no País. Além do Brasil, será feito na Índia, na China e na Tailândia e vendido em 100 países.

Entre os convidados que assistirão aos shows da Timbalada e de Carlinhos Brown está a tataraneta de Henry Ford, Elena Ford, 45 anos, responsável pelo marketing global, vendas e serviços do grupo. A Ford conta com o utilitário-esportivo (SUV) compacto para se destacar no mercado brasileiro, cada vez mais assediado por fabricantes de todos os continentes. E vê no modelo brasileiro importante peça para deslanchar nos países asiáticos, onde ainda tem presença restrita, como China e Índia.

"Crescer na Ásia é fundamental para nosso sucesso a longo prazo e o EcoSport será um importante condutor desse crescimento futuro", diz Elena. Ela chega hoje à Bahia e retorna aos EUA na terça-feira. Concedeu anteontem a seguinte entrevista ao Estado.

Qual a importância desse veículo para a Ford?

O novo EcoSport é um dos mais importantes lançamentos da Ford em 2012. Este é um momento emocionante para a companhia e para o time brasileiro. Estamos colocando um produto de grande sucesso por anos no Brasil disponível em nossos mercados mais importantes. O time da Ford em todo mundo está ajudando muito para que isso aconteça. Trabalhando juntos seremos capazes de amplificar essa história de sucesso. E essa é uma história muito importante: o novo EcoSport vai fortalecer a marca Ford e seu portfólio de modelos em mercados-chave como Brasil, Índia e China. Para a Ford, crescer na Ásia é fundamental para nosso sucesso a longo prazo e o EcoSport será um importante condutor desse crescimento futuro.

Como será a estratégia global de lançamento?

Com todos os nossos recentes lançamentos em todo mundo estamos fazendo um grande esforço de pré-lançamento, que é o período antes do carro chegar às concessionárias. Com a internet, as mídias sociais e o marketing de boca a boca, acreditamos que é extremamente importante começar uma conversa mais cedo e incentivar as pessoas a aderirem a ela. Estamos fazendo coisas para atingir as pessoas diretamente, com eventos como o show deste domingo. Também vamos engajar as pessoas no Facebook, com o apoio de celebridades. A equipe no Brasil tem um plano fantástico para o lançamento do EcoSport, que se estende ao longo dos próximos seis meses e vai gerar muito barulho.

O Brasil desenvolveu o EcoSport, mas teve de se adaptar às agendas da Índia e da China, que tinham seus salões de automóveis, para mostrá-lo ao público local. Por quê?

A equipe do Brasil já fez um trabalho fantástico comunicando a história do EcoSport, começando com atividades em janeiro. Fizemos tudo simultaneamente em todo mundo, uma vez que é um lançamento global. O show e as ações deste fim de semana apenas aumentarão o entusiasmo. Já temos 1 milhão de consumidores que visitaram o site oficial do novo EcoSport no Brasil. O esforço de pré-lançamento faz com que as pessoas falem e se engajem, ajudando a criar espectativa.

A montadora vai divulgar nos demais países que o EcoSport foi desenvolvido aqui no Brasil?

Estamos orgulhosos da excelente equipe de desenvolvimento no Brasil. Eles criaram um novo EcoSport excelente, digno do nome e da história do veículo. Sob o ponto de vista de comunicação, vamos enfatizar os equipamentos, conteúdo e capacidade. Para os consumidores da China e da Índia, a capacidade e o valor são os pontos mais importantes de um veículo. É o mesmo em todo mundo. Pegue o Fiesta como exemplo: na América do Norte, nós comunicamos sua capacidade e performance, e não que ele foi desenvolvido na Alemanha. O EcoSport é um excelente produto e será vendido como veículo certo para o cliente, com liderança em capacidade e tecnologia.

Como você vê o mercado brasileiro?

O Brasil é um mercado vital para a Ford. Nossos negócios são bons, mesmo enfrentando mais competitividade com pressão de custos e desaceleração da economia global. Apesar desses desafios, acreditamos que a indústria começará a se aquecer de novo. Estamos preparados para esse crescimento, particularmente com o EcoSport e com a nova Ranger.

Sua ida à Bahia tem alguma razão especial?

Venho algumas vezes por ano ao Brasil e gosto muito. Essa visita, claro, é especialmente emocionante porque estamos lançando o novo EcoSport e, como mencionei, é um produto fundamental para a Ford.

Quando você começou a trabalhar na Ford?

Em 1995, como coordenadora de comunicação da Ford Caminhões na América do Norte. Tive o prazer de trabalhar em diversas áreas, em vários cargos. O trabalho que tenho agora é o melhor que já tive. É muito desafiador fazer com que todos no mundo inteiro trabalhem juntos para promover a visão de Alan Mulally do "One Ford". Nunca me diverti tanto.

Quais seus desafios hoje?

O número de produtos que estamos lançando. Este é um problema maravilhoso, com tantos produtos sendo lançados ao redor do mundo de uma só vez. Não há horas suficientes no dia.

Você é muito cobrada por ser uma Ford?

O desenvolvimento da minha carreira foi como o de qualquer outra pessoa. Tive a sorte de ter tido uma variedade de empregos. Com minhas experiências e as relações que construí, realmente sinto que sou, além de meu sobrenome, parte da empresa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.