Taxa de condomínio poderá subir ainda mais

Em setembro ocorrerá o dissídio coletivo do pessoal que trabalha em condomínio, como zeladores, porteiros, vigias ascensoristas, faxineiros, garagistas, folguistas, etc. E o Sindicato dos Trabalhadores em Edifícios e Condomínios de São Paulo (Sindifícios), que representa os trabalhadores da categoria, já estão em campanha salarial, definindo a pauta de reivindicações que será encaminhada ao sindicato patronal. O presidente do Sindifícios, Paulo Ferrari, diz que a categoria reivindica reajuste salarial de 10%, aumento de R$ 40,00 para o piso e planos de assistência médica- hospitalar. Se todas essas reivindicações forem atendidadas, quem mora em prédio de apartamentos já deve ir-se preparando para um aumento maior nas taxas de condomínio, a partir de setembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.