Taxa de desemprego, de 7,3%, é a menor para meses de abril, diz IBGE

Número de desocupados somou 1,7 milhão, queda de 4,4% ante março e recuo de 16,4% na comparação anual

Jacqueline Farid, da Agência Estado,

27 de maio de 2010 | 09h05

A taxa de desemprego de 7,3% apurada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em abril de 2010 é a menor taxa para meses de abril da série histórica da pesquisa mensal de emprego, iniciada em 2002.

Segundo a pesquisa, o número de ocupados nas seis principais regiões metropolitanas (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife e Porto Alegre) do País somou 21,82 milhões em abril, com alta de 0,3% ante março e aumento de 4,3% na comparação com abril do ano passado. Já o número de desocupados somou 1,71 milhão de pessoas, com queda de 4,4% ante março e recuo de 16,4% na comparação com abril de 2009.

Em março, a taxa atingiu 7,6%. O resultado veio no piso das estimativas dos analistas ouvidos pelo AE Projeções (7,30% a 7,80%), e abaixo da mediana de 7,60%. Em abril do ano passado, a taxa havia sido de 8,9%.

Rendimento

O rendimento médio real dos trabalhadores registrou variação de 0,1% em abril ante março e de 2,3% na comparação com abril do ano passado. 

A massa de rendimento real habitual dos ocupados nas seis principais regiões metropolitanas do País somou R$ 31,4 bilhões em abril, com alta de 0,6% ante março e aumento de 6,6% na comparação com abril de 2009. Já a massa de rendimento real efetiva somou R$ 31,2 bilhões em março, com alta de 1,0% ante fevereiro e aumento de 7,3% ante março do ano passado.

A massa de renda efetiva sempre se refere ao mês anterior ao da pesquisa mensal de emprego divulgada pelo IBGE.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.