Taxa de desemprego fica em 5,3% em agosto, apura IBGE

A taxa de desemprego apurada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nas seis principais regiões metropolitanas do País ficou em 5,3% em agosto. O resultado veio abaixo do piso das estimativas dos analistas ouvidos pelo AE Projeções (de 5,4% a 5,9%), com mediana de 5,6%.

DANIELA AMORIM E VINICIUS NEDER, Agencia Estado

20 de setembro de 2012 | 09h29

O rendimento médio real dos trabalhadores registrou variação de 1,9%% em agosto ante julho e aumento de 2,3% na comparação com agosto de 2011. O IBGE divulgou ainda os resultados da taxa nacional de desemprego de julho, que ficou em 5,4%, e de junho, que foi de 5,9%. A greve dos servidores do instituto tinha impedido a publicação dos números completos para o conjunto das seis regiões metropolitanas nos meses anteriores.

A taxa de 5,3% foi a menor para o mês desde o início da série histórica da Pesquisa Mensal de Emprego, em 2002. A redução no desemprego na passagem de julho (5,4%) para agosto foi considerada estabilidade pelo IBGE, que diz não ter havido variação estatisticamente significativa. A massa de renda real habitual dos ocupados no País somou R$ 40,7 bilhões em agosto, um aumento de 2,3% em relação a julho. Na comparação com agosto de 2011, a massa cresceu 3,6%.

Tudo o que sabemos sobre:
empregoIBGE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.