Taxa de desemprego fica estável na zona do euro

A taxa de desemprego da zona do euro ficou inalterada em 8,8% em fevereiro, pelo 12º mês consecutivo, embora o número de pessoas sem emprego tenha subido para 12,4 milhões, de 12,3 milhões de janeiro, de acordo com dados divulgados pela Eurostat, agência de estatísticas da União Européia. Embora haja sinais de uma incipiente recuperação econômica da zona do euro, é provável que o desemprego aumente. De acordo com uma pesquisa da Reuters/NBC Research, os empresários ainda estão reduzindo o número de vagas num esforço para continuarem competitivos nos mercados mundiais, uma tarefa que se torna mais difícil com a valorização do euro. E, de acordo com uma pesquisa de sentimento publicada ontem, os consumidores não esperam que o mercado de trabalho melhore dramaticamente nos próximos 12 meses. A taxa de desemprego da região está alta para padrões internacionais. Em fevereiro, a taxa de desemprego ficou em 5,6% nos EUA e em 5% no Japão. A taxa na zona do euro variou de 4% em Luxemburgo a 11,2% na Espanha. Na União Européia como um todo, a taxa de desemprego ficou inalterada em relação a março, em 8%. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.