DARIO OLIVEIRA/CÓDIGO19
DARIO OLIVEIRA/CÓDIGO19

Taxa de desemprego no Estado de SP fica em 12,8%, maior resultado da série histórica

Em igual período do ano passado, a taxa de desemprego medida pela Pnad Contínua em São Paulo estava em 9,6%

Daniela Amorim, Broadcast

22 Novembro 2016 | 09h54

RIO - A taxa de desocupação no Estado de São Paulo ficou em 12,8% no terceiro trimestre, de acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado foi o mais elevado da série histórica, iniciada no primeiro trimestre de 2012.

Em igual período do ano passado, a taxa de desemprego medida pela Pnad Contínua em São Paulo estava em 9,6%. No segundo trimestre de 2016, o resultado foi de 12,2%.

A renda média real do trabalhador em São Paulo foi de R$ 2.629 no terceiro trimestre, ante R$ 2.571 no trimestre imediatamente anterior, alta de 2,3%. Em relação ao mesmo período do ano anterior, entretanto, houve queda de 2,6%. No segundo trimestre de 2016, a renda média real era de R$ 2.701 na região.

No último dia 27, o IBGE divulgou os resultados gerais do mercado de trabalho apenas para o total do País. A taxa de desocupação foi de 11,8% no terceiro trimestre.

Desde janeiro de 2014, o IBGE passou a divulgar a taxa de desocupação em bases trimestrais para todo o território nacional. A nova pesquisa substitui a Pesquisa Mensal de Emprego (PME), que abrangia apenas as seis principais regiões metropolitanas, e também a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) anual, que produz informações referentes somente ao mês de setembro de cada ano.

 

Mais conteúdo sobre:
São Paulo Ibge Pnad

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.