Taxa de desemprego nos EUA é a maior desde 1983

Mercado de trabalho americano cortou 216 mil vagas em agosto e índice subiu para 9,7%

Danielle Chaves e Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

04 de setembro de 2009 | 09h59

A taxa de desemprego nos Estados Unidos subiu para 9,7% em agosto, o maior nível desde junho de 1983, quando atingiu 10,1%. A previsão dos analistas era de que a taxa ficaria em 9,5% em agosto. Em julho, a taxa de desemprego foi de 9,4%, dado que não sofreu revisão.

Veja também:

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialAs medidas do emprego

especialDicionário da crise 

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise

 

O mercado de trabalho norte-americano cortou 216 mil vagas de emprego em agosto, abaixo do corte médio de 233 mil previsto pelos economistas. Desde dezembro de 2007, quando foi iniciada a recessão, foram eliminados 7,4 milhões de empregos. O emprego no setor de manufatura caiu 63 mil em agosto e no setor de construção recuou 65 mil. No setor de serviços, foram cortadas 80 mil vagas, enquanto o governo eliminou 18 mil postos.

O dado de julho foi revisado. O número de vagas de trabalho cortadas foi elevado para 276 mil, de cálculo anterior de corte de 247 mil. O ganho médio por hora trabalhada subiu US$ 0,06 em agosto para US$ 18,65, 2,6% acima de agosto do ano passado, informou o Departamento do Trabalho. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAdesemprego

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.