Taxa de desemprego segue em 7,9% no Reino Unido

O mercado de trabalho do Reino Unido mostrou poucos sinais de melhora nos três meses até novembro de 2010, segundo dados divulgados hoje pelo Escritório Nacional de Estatísticas. A medida internacional oficial de desemprego, formalmente conhecida pela Organização Internacional do Trabalho (ONS, na sigla em inglês), apontou 49 mil pessoas desempregadas a mais nos três meses encerrados em novembro. O total atingiu 2,5 milhões. A taxa de desemprego permaneceu em 7,9%, informou a ONS. Nos três meses até outubro, a medida havia aumentado em 35 mil pessoas desempregadas.

CLARISSA MANGUEIRA, Agencia Estado

19 de janeiro de 2011 | 09h08

Os dados ficaram em linha com as projeções dos economistas. Já o número de pessoas com idade entre 16 e 24 anos sem trabalho atingiu o nível mais alto desde que os números começaram a ser compilados. O desemprego neste grupo alcançou 951 mil, o que representa uma taxa de 20,3% - o maior nível desde 1992.

O ONS informou ainda que a medida de contagem de pedidos de auxílio-desemprego caiu em dezembro em 4.100 solicitações, com a taxa de desemprego em 4,5%. Em novembro, o número de pedidos de auxílio-desemprego recuou em 3.200 solicitações, com uma taxa de desemprego de 4,5%, segundo dados revisados. Economistas haviam previsto uma alta dos pedidos de auxílio-desemprego de 2.750 solicitações, com uma taxa de desemprego de 4,5%. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
desempregotaxaReino UnidoONS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.