Taxa de fecundidade chega ao menor nível, revela IBGE

Índice é de 1,89 filho por mulher em 2008; média de moradores por domicílio cai para 3,3

Jacqueline Farid, da Agência Estado,

18 de setembro de 2009 | 11h37

A taxa de fecundidade do País atingiu em 2008 o menor nível da história, chegando a 1,89 filho por mulher, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) divulgada nesta sexta-feira, 18, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em 2007, o índice era de 1,95 filho por mulher. O gerente da pesquisa, Cimar Azeredo, mostrou dados que apontam que, em 1940, a taxa de fecundidade chegava a 6,16 filhos, passando para 4,35 filhos em 1980 e para 2,85 filhos em 1991. A pesquisa mostrou também que a média de moradores por domicílio manteve o comportamento de queda, passando de 3,4 em 2007 para 3,3 em 2008.

  

Veja também:

linkMercado de Trabalho tem desempenho recorde no pré-crise

linkAnalfabetismo permanece inalterado no País em 2008

linkTrabalho infantil recua, mas 4,5 mi de crianças ainda trabalham

linkAcesso à web aumenta, mas desigualdade regional permanece

linkNúmero de contribuintes da Previdência cresce 5,9% em 2008

A Pnad é realizada anualmente e investiga os temas de habitação, rendimento e trabalho, associados a aspectos demográficos e educacionais. A pesquisa tem seus primórdios em 1967, quando foi iniciada apenas na área do Rio de Janeiro, e na atualidade é realizada nacionalmente, por meio de uma amostra de domicílios. No levantamento divulgado hoje foram pesquisadas 391.868 pessoas e 150.591 unidades domiciliares, distribuídas por todo o País. A Pnad também é utilizada na estimativa da população brasileira.

Tudo o que sabemos sobre:
IBGEPnadtaxa de fecundidade

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.