Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Taxa de investimento do PIB tem maior alta desde 2004

O aumento de 13,8% apurado na Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF, que sinaliza investimentos) no Produto Interno Bruto (PIB) no segundo trimestre de 2007, ante igual período do ano anterior, é a maior variação trimestral nesse indicador apurada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) desde o segundo trimestre de 2004. Foi o 14º crescimento ante igual mês do ano anterior apurado no PIB da FBCF.A gerente de contas trimestrais do IBGE, Rebeca Palis, disse que o bom resultado na FBCF reflete a conjunção de vários fatores: aumento da produção interna e das importações de máquinas e equipamentos, crescimento da construção civil, expansão do crédito à pessoa jurídica e recuo na taxa Selic.Segundo os dados apresentados por Rebeca, a construção civil cresceu 6,3% no segundo trimestre de 2007 ante igual período do ano passado, impulsionada pelo aumento do crédito para habitação (que aumentou 22,7% em termos nominais no período). Ela sublinhou que o desempenho do setor foi tão bom no período que o número de pessoas ocupadas aumentou 3,9%.A taxa de juros Selic, que era de 15,7% ao ano no segundo trimestre de 2006, recuou para 12,6% ao ano no segundo trimestre de 2007. Além disso, houve aumento de 23,0% no crédito de recursos livres para pessoa jurídica no segundo trimestre ante igual período de 2006.A FBCF também registrou crescimento de 3,2% no segundo trimestre deste ano ante o primeiro trimestre e acumula alta de 10,6% no primeiro semestre de 2007.

JACQUELINE FARID E ADRIANA CHIARINI, Agencia Estado

12 de setembro de 2007 | 11h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.