Taxa de juros pode ter cortes menores, alerta ata do Copom

A taxa básica de juros (Selic, atualmente em 15,75% ao ano) pode ter cortes menores nas próximas reuniões do Comitê de Política Monetária (Copom). Pelo menos é isso o que afirma a ata do último encontro, que, desde janeiro, cortou em 0,75 ponto porcentual a taxa em todas suas reuniões. "Tendo em vista as incertezas que cercam os mecanismos de transmissão da política monetária, e a menor distância entre a taxa básica de juros corrente e as taxas de juros que deverão vigorar em equilíbrio no médio prazo, o Copom entende que a preservação das importantes conquistas obtidas no combate à inflação e na manutenção do crescimento econômico, com geração de empregos e aumento da renda real, poderá demandar que a flexibilização adicional da política monetária seja conduzida com maior parcimônia.". Ainda, segundo o BC, a decisão sobre a possibilidade de desaceleração nos cortes se torna ainda mais forte quando se leva em conta que as próximas decisões sobre a política monetária terão impactos mais concentrados em 2007. Defasagem Na ata, os membros do Copom ressaltam que há "defasagens importantes" entre a implementação da política monetária e seus efeitos sobre o nível de atividade econômica e a inflação. "Desde o início do ciclo de flexibilização da política monetária, em setembro de 2005, a taxa de juros básica já foi reduzida em um total de 325 pontos base", ponderou o Copom, acrescentando que boa parte desse corte de juros ainda não se refletiu no nível de atividade. "Assim como os efeitos da recente retomada da atividade sobre a inflação também não tiveram tempo de se materializar."

Agencia Estado,

27 Abril 2006 | 09h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.