coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Taxa de retorno das concessões de rodovias sobe para 7,2%, diz Mantega

Segundo o ministro, a taxa real de retorno ao investidor poderá ficar entre 16% e 20%, dependendo da rodovia

Adriana Fernandes e Renata Veríssimo, da Agência Estado,

08 de maio de 2013 | 15h30

BRASÍLIA - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou oficialmente o aumento de 5,5% para 7,2% da taxa real de retorno dos projetos de concessões de rodovias. A mudança já havia sido antecipada hoje, mais cedo, pelo presidente executivo do Sindicato Nacional da Construção Pesada (Sinicon), Rodolpho Tourinho Neto, em nota publicada pelo Broadcast.

Segundo Mantega, a taxa real de retorno para o investidor, dependendo da rodovia, ficará entre 16% e 20%. Ele explicou que a taxa de retorno de 7,2% para o projeto é como se fosse o rendimento do capital da empresa que vai fazer o investimento. "Já o rendimento para o investidor considera o financiamento", disse ele, ao explicar a taxa de retorno para o investidor, que ficará entre 16% e 20%.

O ministro ponderou que a concorrência nos leilões deverá reduzir um pouco a taxa de retorno dos projetos de concessões de rodovias. "Como os nossos cálculos são parâmetros para os leilões e no decorrer haverá concorrência, as taxas poderão abaixar um pouco. Não serão necessariamente essas taxas", disse.

Mantega enfatizou que o governo está tornando bem atraentes as concessões de rodovias para que haja concorrência. "Quanto mais atraente o empreendimento, a perspectiva de lucro, maior será a atração de investimentos", afirmou. O ministro informou que se reuniu hoje com os empresários do setor (concessionários) e representantes do Sinicon, que foram unânimes em afirmar, com entusiasmo, que a taxa fixada era atrativa e que participariam dos leilões, previstos para setembro.

As condições de financiamento dos projetos são de até 25 anos com taxa de juros de até 1,5% e prazo de carência de cinco anos. Essas condições de financiamento poderão ser oferecidas pelo BNDES, os demais bancos públicos e também os privados. Mantega lembrou que o Banco Central liberou R$ 15 bilhões dos depósitos compulsórios para esses financiamentos.

Ferrovias e trem bala. Mantega disse que o governo irá analisar as condições das concessões de ferrovias e para o trem bala em outra ocasião. Hoje, ele anunciou mudanças na taxa de retorno para projeto de concessão de rodovias. Segundo ele, a taxa de 7,2% anunciada hoje foi considerada atrativa por todos os concessionários. "Todos os lotes são atrativos. As concessionárias já têm parte das rodovias e algumas têm interesse ter outra parte", afirmou.

O ministro confirmou também que a chamada taxa alavancada caiu de 80% para 70%. Esse é o porcentual que o investidor pode alavancar de financiamento nas instituições financeiras. "Baixamos para 70% porque é mais realista", disse. O ministro afirmou que os leilões dos nove lotes de concessões de rodovias ocorrerão em setembro.

Tudo o que sabemos sobre:
rodoviasconcessoesmantega

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.