Taxa de retorno em concessões de rodovias sobe para 7,2%

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou oficialmente o aumento de 5,5% para 7,2% da taxa real de retorno dos projetos de concessões de rodovias. Segundo Mantega, para o investidor, a taxa real de retorno, dependendo da rodovia, ficará entre 16% e 20%. Ele avalia que, com essa decisão, haverá interesse das concessionárias nos nove lotes de concessões, que totalizam 7,5 mil quilômetros.

ADRIANA FERNANDES E RENATA VERÍSSIMO, Agencia Estado

08 de maio de 2013 | 15h49

Mantega contou que se reuniu nesta quarta-feira, 8, com os empresários do setor (concessionários) e representantes do Sindicato Nacional da Indústria de Construção Pesada (Sinicon), que foram unânimes em afirmar, com entusiasmo, que a taxa fixada era atrativa e que participariam dos leilões, previstos para setembro. "As concessionárias já têm parte das rodovias e algumas têm interesse em ter outra parte", afirmou.

O ministro confirmou também que a chamada taxa alavancada caiu de 80% para 70%. Esse é o porcentual que o investidor pode alavancar de financiamento nas instituições financeiras. "Baixamos para 70% porque é mais realista", disse. O cronograma dos leilões, previstos para setembro, está mantido. O governo irá analisar as condições das concessões de ferrovias e para o trem bala em outra ocasião.

Tudo o que sabemos sobre:
rodoviasconcessãotaxa de retorno

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.