Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Taxa de vacância em imóveis industriais cai em 2010; preço sobe

O período em que um imóvel fica desocupado, a chamada taxa de vacância, recuou para as unidades industriais no Brasil em 2010, pela da rápida ocupação dos imóveis entregues ao longo do ano passado.

REUTERS

20 de abril de 2011 | 15h01

Para este ano, a vacância geral poderá aumentar devido aos novos empreendimentos previstos para 2011, mostrou uma pesquisa da consultoria Cushman & Wakefield divulgada nesta terça-feira.

Segundo o levantamento, em 2010 a taxa de vacância de imóveis industriais foi de 7,5 por cento, contra 8,9 por cento em 2009 nas três regiões pesquisadas --São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná.

A maior queda, mostrou a pesquisa, aconteceu no Rio de Janeiro (2,4 pontos percentuais), onde a vacância geral no ano passado foi de 3,9 por cento. Em Curitiba, entretanto, o registro foi de 3,6 por cento, enquanto em São Paulo a taxa ficou em 8,7 por cento.

O preço das locações fechou o ano passado em alta de 15,6 por cento, chegando a 15,1 reais por metro quadrado por mês, se considerado o mercado de imóveis industriais individuais e condomínios.

"A Região Metropolitana de São Paulo continua sendo a localização mais cara do país, com média geral de 15,5 reais por metro quadrado por mês para preços pedidos de locação", disse a Cushman & Wakefield.

Segundo a consultoria, o aumento nos preços foi resultado da combinação entre a recente entrada de imóveis de alta qualidade, "principalmente do tipo condomínios de múltiplo-uso", com a alta demanda e a pouca oferta.

"O preço médio de locação deverá (em 2011) fechar em alta com relação a 2010, devido ao aumento de novos empreendimentos de maior qualidade", prevê a consultoria.

O levantamento da Cushman & Wakefield foi realizado com base em imóveis comerciais com mais de 5 mil metros quadrados nas regiões pesquisadas.

(Por Carolina Marcondes)

Tudo o que sabemos sobre:
CONSTRUCAOCUSHMANWAKEFIELDPESQUISA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.