Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Taxação não deve afastar investidor estrangeiro, afirma Dilma

Ministra diz que a medida é um dos mecanismos que o governo utilizará para tentar frear a queda do dólar

GERUSA MARQUES, Agencia Estado

20 de outubro de 2009 | 10h46

A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, acredita que a taxação de capital estrangeiro não deve afugentar os investidores. Segundo ela, não se está taxando investimento estrangeiro direto. "Está se taxando única e exclusivamente a aplicação", disse a ministra, em rápida entrevista, ao chegar para a reunião do Conselho de Administração da Petrobras. Ela destacou que a medida é um dos mecanismos que o governo utilizará para tentar frear a queda do dólar.

 

Veja também:

linkApós IOF, gestores alteram estratégias de investimento no País

linkGoverno taxa entrada de capital externo em 2%

linkDólar abre em alta após adoção de IOF sobre capital estrangeiro

linkEfeito do novo IOF é limitado, diz diretor do FMI

linkTaxação vai reforçar o caixa do governo

O governo decidiu ontem impor a taxação de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) sobre a entrada de capital estrangeiro para investimentos em renda fixa e variável. Os recursos estrangeiros que ingressarem no País por meio da Bolsa de Valores, título público e renda fixa terão incidência de IOF com alíquota de 2%.

Tudo o que sabemos sobre:
capital estrangeirotaxaçãoDilma

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.