Taxas cobradas por fundos diminuem ganhos

Quem pretende colocar seu dinheiro em fundos de investimento, além de analisar os ativos em que esse fundo investe, seu risco e seu retorno, deve pesquisar as taxas que a administradora desse fundo cobra. Dependendo do valor dessas taxas, o investidor pode perder uma parcela bastante grande de seus ganhos.A principal cobrança feita pelas administradoras e gestoras das carteiras é a taxa de administração. Essa taxa é a remuneração que essas instituições recebem pelo seu trabalho e é cobrada mensalmente sobre o total de recursos que o investidor possui na carteira. Apesar de ser cobrada mensalmente, as administradoras normalmente anunciam a percentagem anual da taxa.Alguns fundos, em determinados casos, também cobram taxa de performance. Essa cobrança é feita por fundos de renda variável voltados para grandes investidores - a legislação só permite que fundos com investimento mínimo individual acima de R$ 50 mil cobrem taxa de performance.A taxa de performance é cobrada quando a rentabilidade garantida ao investidor é superada pelo fundo. Ou seja, o fundo garante uma rentabilidade de, por exemplo, 20% ao investidor. Se, em um determinado mês, os ganhos chegarem a 23%, a taxa é cobrada sobre esses 3 pontos porcentuais excedentes. Portanto, essa cobrança é uma espécie de prêmio que o gestor recebe por oferecer um melhor desempenho.Uma terceira cobrança efetuada pelos fundos de investimento é a taxa de carregamento. Ela normalmente é cobrada em fundos de previdência e em Fundo de Aplicação em Cotas (FAC), que investem o capital depositado em Fundos de Investimento Financeiro (FIFs) já existentes no mercado, ou seja, ele próprio não forma um fundo, e sim investe em outro. Essa taxa é cobrada em cada depósito feito pelo investidor. Portanto, se ele deposita R$ 100 reais em um fundos cuja taxa de carregamento é de 4%, na verdade o depósito feito é de R$ 96, já que R$ 4 irão para a administradora do fundo.Todas essas taxas devem ser informadas ao investidor antes que ele feche o negócio e devem constar no contrato, para que ele possa fazer sua escolha, já que, dependendo do valor da cobrança, ele pode perder bastante de seu rendimento. "Alguns fundos têm a mesma estratégia, investem nos mesmos papéis e, quando se olha o rendimento, percebe-se que há uma diferença. Essa diferença existe porque eles cobram diferentes taxas de administração e aquele que cobra a maior traz uma rentabilidade menor a seu investidor", disse o diretor do site Fortuna, Francisco de Arruda Camargo.O especialista informou também que as taxas de carregamento cobradas pelas instituições que administram fundos são bastante altas. "Elas normalmente estão em 4%, 5% e até mais. O investidor deve entender que essa taxa é tão importante quanto à de administração e até mais perversa, de certa forma, já que ele não obterá rendimento sobre todo o dinheiro que investiu, pois parte dele vai para a administradora."Para Arruda Camargo, o investidor deve dedicar especial atenção às taxas que são cobradas pela administradora. "O investidor assina um contrato concordando com o que é cobrado. Portando, ele deve buscar negociar sempre para pagar as taxas mais baixas o possível", disse. Outra dica que o especialista dá é a cautela. "O investidor deve procurar tirar do fundo a maior transparência possível", disse.Veja, abaixo, tabela com as taxas cobradas por algumas instituições em seus fundos de investimento.instituiçãoinstituiçãofundotx de administração (em % ao ano)tx de performance (em %)UnibancoDI5,00-cambial2,00-ações5,00-BradescoDI**3,50-cambial**3,00-ações**4,00-Santander/BanespaDI4,00-cambial2,00-ações6,00-Banco do BrasilDI4,50-cambial4,00-ações2,00-ItaúDI4,00-cambial2,5025%***ações3,00-HSBCDI3,00-cambial3,00-ações4,00-* como as instituições possuem diversas carteiras para cada tipo de fundo, a pesquisa considerou a carteira com menor investimento mínimo; em caso de uma ou mais opções, foi escolhida a carteira com a menor taxa de administração** FACs*** cobrada sobre o que exceder a variação do dólar comercial acrescida de 6% ao anoLeia mais, nos links abaixo, sobre o comportamento dos fundos de investimento nos últimos meses e a mudança em sua marcação. E não deixe de ver as cartilhas com dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

Agencia Estado,

03 de outubro de 2002 | 17h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.